Modelos de Governança de TI são todo o seu planejamento, sua estrutura de TI.

São o conjunto de práticas que você vai aplicar no seu dia a dia.

Invés de ir ajeitando sua TI e empurrando com a barriga durante meses ou anos, você vai definir um MODELO e segui-lo de forma planejada e organizada.

Simplesmente você vai executar os seguintes passos

  • Avaliar o seu ambiente;
  • Identificar todos os itens e processos necessários;
  • Vai documentar todas as informações, inclusive a execução;
  • Vai consolidar como um projeto, referência, práticas, MODELO a ser seguido dentro da sua organização.

O planejamento de TI constitui um processo de gestão norteador para a execução das ações de TI da organização. Visa conferir foco à atuação da área de TI, apresentando estratégias e traçando planos de ação para implantá-las, o que possibilita o direcionamento de esforços e recursos para a consecução de metas.

SISP – Sistema de Administração de Recursos de Tecnologia da Informação

Os Modelos de Governança de TI podem ser simples ou podem ser mais extensos, detalhados e completos.

Pois pode abranger desde o Alinhamento da TI ao Negócio –> Execução do que foi planejado –> até a Divulgação dos Resultados de TI

Vamos ver um exemplo de modelo genérico com componentes e funções típicas de Governança de TI:

Você vai começar definindo as funções e responsabilidades de cada um na Governança de TI. Se sua empresa é pequena e você trabalha sozinho, está na hora de contratar um auxiliar, pois se você quiser ter uma Governança bem elaborada e efetiva vai ter que fazer um pouco de trabalho burocrático que vai demandar tempo e dedicação.

Mas se você quer continuar trabalhando sozinho por não ter recursos, tem medo que vão roubar seu lugar ou qualquer outra idéia maluca. Pode ser feito, basta trabalhar 18 horas por dia, acabar com sua vida social e se estressar bastante… Eu mesmo já fiz isso 🙂

Mas não é muito legal!

Depois de definido as funções e responsabilidades o seu Modelo pode ter vários componentes, vamos citar alguns:

  • Riscos e compliance: definir qual a tolerância a riscos sua empresa tem, quais conformidades deve seguir;
  • Avaliação independente: se houver riscos, fazer auditorias externas para verificar a conformidade da TI;
  • Gestão da mudança organizacional: avaliar se sua empresa está apta a mudanças, implantações e inovações;
  • Alinhamento estratégico: interação da TI com a Administração para atingir os objetivos do negócio;
  • Entrega de valor: avaliar que valor a TI está entregando para empresa;
  • Gestão do desempenho: definir indicadores de desempenho de TI
  • Comunicação: comunicar o valor entregue, desempenho e metas estabelecidas;
  • Gerenciamento de recursos: avaliar os investimentos e alocação de recursos;
  • Estratégia de TI: elaboração do Plano de TI;
  • Plano de TI: consiste em projetos e inovações que a TI tem que implantar para atender ao Plano de TI;
  • Mecanismos de decisão: estabelecer quem toma decisões sobre TI e priorização de investimentos para estabelecer o portfólio de TI;
  • Portfólio de TI (orçamento e investimentos): estabelecimento do portfólio de TI aprovado;
  • Clientes/usuários: se relacionamento de TI com seus clientes e usuários;
  • Operações de serviços: execução dos projetos, serviços e inovações de TI;
  • Fornecedores: gerenciamento de contratos e serviços fornecido por terceiros.
  • Resultados da TI: consiste nos indicadores de desempenho e de resultados da TI em função da execução de projetos, serviços e inovações.
  • Resultados para o negócio: consiste nos resultados da TI para o negócio, em termos de apoio ao aumento da rentabilidade, à redução de custo, ao lançamento de novos produtos, ao aumento de participação no mercado, à expansão física do negócio, etc.
  • Comunicação e reporte de resultados: consiste na comunicação à partes interessadas (geralmente a alta administração) sobre o desempenho da TI, no atendimento aos níveis de serviços acordados e aos objetivos do negócio.

Estes são alguns componentes básicos que podem conter em seu Modelo, se você viu algum que nunca pensou que precisava ter, repense sua idéia de Governança e continue acompanhando o Diário de TI.

Qual dos Modelos de Governança de TI usar?

Você pode criar um modelo próprio ou pode usar um modelo de outra empresa devidamente adaptado a sua organização, pois é impossível inviável utilizar exatamente o mesmo modelo para duas empresas diferentes.

Achou complicado, difícil, muito burocrático e chato criar um modelo? A boa notícia é que já existem modelos prontos

Existem modelos baseados nas melhores práticas do mercado, alguns são originais e outros derivados de outros modelos.

É altamente  recomendável que você pesquise sobre estes modelos e escolha um para utilizar. Mesmo empresas com muitos recursos que por necessidade específica acabam criando seus próprios modelos, utilizam os modelos existentes como base.

Na tabela a seguir temos os principais modelos citados no meio acadêmico e profissional:

Tabela de Modelos

Fonte: Livro Implantando A Governança de Ti – 4ª Ed

Como podem ver existem modelos para qualquer coisa que se faça em TI, mas eles não devem ser implementados fim a fim, a empresa deve montar sua própria arquitetura de TI utilizando processos de um ou mais modelos.

Conheça os modelos: seus objetivos, estrutura e aplicabilidade e decida qual a melhor opção para sua estrutura.

Nos próximos posts, vamos abordar os modelos mais usados e que são aplicáveis a Infraestrutura de TI:

Modelos para Governança de TI:

  • ISO/IEC 38500
  • Cobit

Modelos para Gerenciamento de Serviços de TI:

  • Itil
  • ISO/IEC 20000

Modelo para Gerenciamento de Projetos:

  • PMBOK

Modelos para Segurança da Informação:

  • ISO/IEC 27001 e 27002

Modelos Complementares para Governança de TI:

  • Balanced Scorecard – BSC
  • ISO 9001:2008

Continue acompanhando…

Um abraço!