Invés de eu escrever um post para justificar por que é preciso fazer um inventário de TI eu poderia simplesmente citar a velha frase:

O que não é medido não pode ser gerenciado!

Mas vamos lá, vamos explicar melhor como fazer um inventário de TI.

A maioria das pequenas e médias empresas não fazem inventário de TI, os motivos são vários: crescimento desordenado, falta de investimento, profissional de ti com pouco conhecimento, etc.

Mas como você vai gerenciar algo se não tem a menor idéia do que está sendo gerenciado?

Você precisa responder as seguintes perguntas:

  • Quantos computadores tem na empresa?
  • Quantos são desktops e quantos são notebooks?
  • Quais sistemas operacionais estão rodando?
  • Estão atualizados?
  • Quais softwares estão instalados?
  • Todos computadores, noteboks e servidores tem antivírus?
  • Qual o tamanho do HD, quantidade de memória, qual o processador?
  • Qual a idade destes hardwares? Já está na hora de trocar?
  • O hardware destes computadores suportam uma atualização de SO?
  • Quais outros hosts (servidores, switches, impressoras, terminais) estão na sua rede?

E temos várias outras perguntas simples sobre a nossa infraestrutura, as quais não sabemos responder.

E isso acaba gerando outras perguntas sobre a Gestão da TI:

  • Podemos atualizar para versão mais nova do Windows, Linux, Mac OS ou qualquer outro?
  • Como está o licenciamento dos meus sistemas e softwares?
  • Eu tenho algum programa não autorizado instalado em algum PC?
  • Quantas impressoras eu tenho e quais os endereços delas?
  • Quantos hosts eu tenho na rede?
  • Como está a quantidade de IPs da rede?
  • Preciso renovar meu parque?
  • Quantos PCs preciso comprar?
  • Quais PCs posso fazer um upgrade para melhorar perfomance e produtividade?
  • Quem é o dono ou usuário de determinado PC?

Enfim, coisas básicas que precisamos saber para fazer uma boa gestão.

Ferramentas para inventário de TI

Normalmente a maioria dos gestores de TI sabem da importância do inventário e querem fazer, mas colocam em segundo plano, vão empurrando com a barriga, deixam para semana que vem.

Daí quando se dão conta a “semana que vem” virou 1 mês, 2, 3, 6 meses, 1 ano,  2 anos…

Eu sei porque eu mesmo passei por isso. No fim, acabamos sofrendo para gerenciar, sendo que seria mais fácil se tivéssemos o inventário.

Então porque não fazemos o tal do inventário?

Por causa da ferramenta!

Isso mesmo, não sabemos que ferramenta usar, não existe uma padrão ou mais usada.

Cada um faz de um jeito diferente e se procuramos na internet encontramos um monte de sugestões, cada ferramenta faz uma função e outra não.

É uma bagunça!

Para piorar a maioria das ferramentas é paga ou free com restrições, daí ficamos sem saber o que fazer: se pagamos ou experimentamos, testamos…

Ah, semana que vem eu vejo isso!

Aqui vão as dicas de ferramentas baseadas na minha experiência:

Planilha

É uma idéia horrível, a não ser que você tenha 10 computadores no seu “parque”. Imagina planilhar 50, 100 computadores. E como atualizar estas informações?

Planilha é perda de tempo e nunca vai funcionar direito… Nunca é uma palavra forte, você pode formar uma equipe só para trabalhar nesta planilha, daí vai dar certo (melhor não).

Ferramentas “grátis”

Temos algumas ferramentas open source como: OCS Inventory e Open-Audit, são ferramentas legalzinhas, mas é aquela traquinagem linux de sempre: dependência da comunidade, demora nas atualizações, curva de aprendizado alta.

É interessante se você realmente tem poucos computadores (uns 50) e não tem recurso para pagar uma ferramenta.

São ferramentas chatas de manter, precisa instalar agentes e no momento que escrevo este artigo, estas duas que eu citei são as melhorzinhas, tem outras mas são piores ou são novas, daí não tem documentação.

Para Windows temos o MSIA – Microsoft Software Inventory Analyzer, é free, desatualizada, somente para produtos Microsoft e é muito ruim.

Ferramentas Pagas

Tem uma porrada, vou citar algumas das mais conhecidas: DELL Kace, Lansweeper e SysAid, boas ferramentas e bem caras também, principalmente a Kace.

A vantagem é que são facílimas de usar e manter, atualizações constantes e suporte. Se você tem 100 ou mais computadores escolha alguma destas ou outra ferramenta paga.

Spiceworks

Agora vamos a dica ninja, a ferramenta que eu uso, a top das tops: o Spiceworks, ferramenta sensacional, não precisa de agente, é simplesmente instalar e escanear a rede.

Ele vai achar coisas que nem você sabia que tinha. A interface dele é via Browser e relativamente fácil de usar.

Ok! Ele não é tão simples e mágico assim, os PCs precisam ter algumas portas e o firewall liberados para o Spiceworks conseguir escanear, mas ele mesmo ensina a fazer isso, é relativamente simples via GPO.

Outros hosts são escaneados via SNMP ou autenticação, hosts mais complexos como um NAS, LTO ou Switch pode ser preciso ativar o SNMP, mas isso você já deveria fazer quando instala o dispositivo (minha opinião, você pode ter alguma restrição de segurança que eu não sei).

Spiceworks Inventário

O importante é que o Spiceworks vai achar tudo e “mais ou menos” categorizar. Alguma organização e categorias você vai ter que fazer manualmente.

Spiceworks Inventário

Agora o mais legal, ele pode escanear a rede diariamente ou conforme você agendar, mantendo seu inventário constantemente atualizado e você pode tirar vários relatórios personalizados.

Mas esta ferramenta é muito maravilhosa, deve custar uma fortuna!

ZERO, totalmente free e com uma comunidade gigante se ajudando. A forma de monetização do Spiceworks são propagandas na interface e cobrança de suporte.

Outro recurso excelente, você também pode configurar o Proxy do Spiceworks para que ele envie as informações para outro Spiceworks, sendo assim você pode fazer o inventário de TI centralizado para as filiais. Se você presta suporte  terceirizado a várias empresas, instala o proxy em cada uma e todas mandam as informações para o seu servidor. Lindo né?

Sou suspeito para falar, mas Spiceworks é a melhor alternativa free que existe para pequenas e médias empresas.

As grandes empresas logicamente devem usar ferramentas mais robustas e pagas.

Enfim, inventário é importantíssimo e imprescindível para uma gestão de TI decente, infelizmente não posso te dar uma receita de bolo, mas espero ter dado uma luz sobre este assunto chato.

Um abraço!